Arnaldo Jabor, Hugo Carvana e Cacá Diegues no Cineclube Henfil

0
707
Filme é sobre um viúvo que se apaixona por uma prostituta após prometer ao filho que não se envolveria mais com mulheres

Baseado na obra de Nelson Rodrigues, “Toda nudez será castigada”, de Arnaldo Jabor, será exibido nesta quarta-feira (04/02), na Casa Digital, às 19h

O Cineclube Henfil de Maricá, projeto da Secretaria Municipal Adjunta de Cultura que desde 2012 apresenta filmes gratuitos, aposta em mais sucessos nacionais em fevereiro. Serão três filmes, dirigidos por Arnaldo Jabor (“Toda nudez será castigada”), Hugo Carvana (“Bar Esperança”) e Cacá Diegues (“Chuvas de Verão”). As sessões serão exibidas todas as quartas-feiras, às 19h, na Casa Digital (Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel, Centro).

Abrindo a programação, o Cineclube apresenta nesta quarta-feira (04/02) “Toda nudez será castigada” (1973 – Brasil), de Arnaldo Jabor e baseado na peça teatral homônima de Nelson Rodrigues. A história é sobre Herculano (Paulo Porto), um homem puritano que só tinha tido uma mulher na vida e, após a morte da esposa, promete ao filho nunca mais se envolver com mulheres. Mas acaba se apaixonando pela prostituta Geni (Darlene Glória).

Com 100 minutos de duração, o longa-metragem foi lançado na época da ditadura e censurado no Brasil pelos militares que consideram a “obra imoral”. No entanto, o filme foi premiado no Festival de Berlim (Alemanha), com o Urso de Prata para o diretor Arnaldo Jabor, e liberado no Brasil em virtude da exposição no exterior. “Toda nudez será castigada” também venceu em duas categorias do Festival de Gramado: Melhor Filme e Melhor Atriz (Darlene Glória). A programação deste mês inclui ainda “Bar Esperança” (11/02) e “Chuvas de Verão” (25/02).

O projeto da Secretaria Municipal Adjunta de Cultura exibe desde dezembro de 2012 obras de grandes autores do cinema mundial. Já passaram pelas telonas do Cineclube Henfil clássicos de Alfred Hitchcock; Charlie Chaplin; Mazzaropi; musicais de Hollywood ("Cantando na Chuva" e "Chicago"); documentários sobre as obras de Vinícius de Moraes, Carlos Drummond de Andrade, Violeta Parra, Pablo Neruda e Graciliano Ramos; além de filmes sobre o Golpe de 64, Carlos Marighella, Luís Carlos Prestes, Darcy Ribeiro, João Goulart, entre outros.