Vacinação contra gripe em Maricá apresenta bons resultados na primeira semana

0
789
Daniele Nascimento, 22 anos, e a filha Maria Vitória, um ano e 11 mezes, moradoras da Barra, foram vacinadas no primeiro dia da campanha.

Menos de uma semana depois do início da campanha de vacinação contra a gripe, Maricá apresentou o segundo melhor índice de cobertura entre as cidades da chamada Região Metropolitana II, que inclui ainda São Gonçalo, Niterói, Itaboraí, Rio Bonito, Tanguá e Silva Jardim – esta última a mais bem colocada no ranking, que reúne as informações consolidadas pelas secretarias municipais de saúde.

Até ontem (10/05) às 18 horas, mais de 5.200 pessoas haviam sido imunizadas em Maricá, o que representa 24,7% de cobertura. Os números são bons, mas é preciso que a população se mobilize ainda mais e compareça aos postos de saúde, para que a meta final da campanha, que é vacinar 21.354 pessoas até o dia 25 deste mês, seja atingida.

Segundo a coordenadora de Vigilância Epidemiológica da secretaria de Saúde de Maricá, Fernanda Spitz, “a atenção deve estar voltada, principalmente, para as gestantes e idosos, além das crianças”. Até o momento, a cobertura para idosos é a mais baixa (20,7%), seguida pela de gestantes (32,2%) e crianças (49,7%).

A campanha, de âmbito nacional, está sendo realizada em Maricá nos 23 postos da rede municipal de saúde. A vacina aplicada é para imunização contra os vírus H1N1 (influenza), H2N3 e o da gripe sazonal.

Requisitos

Para ser vacinada, a criança tem de estar na idade de seis meses a menos de dois anos e não pode ter tomado outra dose da vacina antes de 15 dias. As gestantes podem tomar a vacina em qualquer mês durante a gravidez e idosos acima de 60 anos podem ser vacinados independentemente de sua condição física. Não podem tomar a vacina pessoas alérgicas a ovo ou que estejam com quadro febril.

A vacina, injetável, é aplicada de forma intramuscular no braço (adultos, uma dose de 0,5 ml), e em crianças, de forma intramuscular na coxa (uma dose de 0,25 ml). As crianças de três a oito anos podem também tomar a vacina, desde que com prescrição médica, em duas doses de 0,25 ml. A campanha inclui ainda indígenas, população prisional e pessoas com comorbidade (duas ou mais doenças relacionadas). A imunidade prevista é de doze meses, razão pela qual a vacina deve ser tomada anualmente.