Novembro Azul tem Dia D em Maricá

0
337

Programas como Saúde do Homem (prevenção ao câncer de próstata e outras doenças), Hiperdia (Hipertensão Arterial + Diabetes), Planejamento Familiar, DST/Aids, Tuberculose, Tabagismo e Hanseníase, participaram nesta quarta-feira (18/11), de ação integrada na Praça Conselheiro Macedo Soares, no Centro. O evento marcou o encerramento da campanha Novembro Azul, em Maricá e o coordenador do programa Saúde do Homem, Leandro Bastos, orientou sobre assuntos como Câncer de Próstata, Andropausa e Qualidade de Vida.

Segundo Leandro, são necessários três tipos de exames preventivos do câncer de próstata: o PSA (Líquido Antígeno Prostático), o toque retal, e a ultrassonografia pélvica, indicados pelo urologista. De acordo com dados do IBGE, atualizados este ano, a população total registrada é de 143.111, com 66.610 homens acima de 60 anos e 27.258, de 20 a 59 anos. "O envelhecimento da população indica que aumentou o número de homens na faixa de risco do câncer de próstata", disse. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de pulmão é o que mata o maior número de pessoas, com 16.400 casos registrados anualmente no país; o câncer de pele, com 98.420 casos, e 32,5% de incidências nem sempre fatais; e o câncer de próstata, que é o segundo mais comum, com 22,8% de incidência e 68.800 casos no Brasil.

"O Ministério da Saúde autoriza o exame de PSA gratuito em qualquer unidade da rede pública, a partir dos 40 anos. O teste é prático e rápido, bastando apenas duas gotas de sangue. A prevenção do câncer (visita médica periódica, exames laboratoriais e clínicos) possibilita a identificação precoce da doença (mais de 100 tipos), agilizando o tratamento e ampliando a expectativa de vida do indivíduo”, completa. Ainda segundo o coordenador, já no tratamento da andropausa, que é a diminuição da produção de testosterona (hormônio masculino), é necessário procurar um Urologista, que, também através de exames, indicará a medicação adequada.

A equipe do Plano Nacional de Reorganização da Atenção à Hipertensão e ao Diabetes Mellitus (Hiperdia), coordenada em Maricá por Silvana Maraü Waldstheim, atuou com aferição de pressão arterial e medição de glicose (HGT) e atendeu 160 pessoas. “O Diabetes Mellitus é uma doença silenciosa com efeitos muitas vezes irreversíveis, dependendo do estágio da doença. A prevenção e tratamento precoce, além de dieta e exercícios, ajudam o diabético a ter uma melhor qualidade de vida”, diz Silvana.

O aposentado Gilson do Nascimento, 62 anos, morador de Araçatiba, aferiu sua pressão (18 X 10) e glicose (HGT 111 – a quantidade normal de açúcar no sangue é entre 70 e 99), e saiu satisfeito. “A pressão está alta porque ainda não tomei o remédio hoje. Quanto à glicose, está só um pouquinho acima do limite, dá para reverter”, adiantou. O pintor de paredes Jarbas Antônio Pereira da Cruz, 60 anos, morador do Centro, disse que é hipertenso. A sua pressão arterial não passou dos 14 X 8, e a glicose, 106 (HGT). “Acho que, mesmo assim, vou preencher a ficha para fazer todos os exames que puder”, garantiu.

O programa Saúde do Homem funciona no Ambulatório Péricles Siqueira Ferreira (antigo Centro de Diagnóstico), e atende de 2ª à 6ª feira, das 8h às 17h, à Rua Luiz Francisco da Silva Caetano, lotes 9 e 10, quadra 4, loja A, Centro. Mais informações pelo telefone 2637-4098. O programa Hiperdia funciona na Secretaria Municipal Adjunta de Saúde, à Avenida Roberto Silveira, s/nº, 2º andar, Centro.