Marquês e Condado de Maricá ganham placas com CEPs e nomes de ruas

0
2939
Ruas do Condado já com as placas.

Os bairros vizinhos de Marquês e Condado vivem diferentes sensações causadas pela mesma ação da Prefeitura. Em ambos os bairros, foram instaladas nesta quinta-feira (16/8) placas com os nomes das ruas e seus respectivos códigos de endereçamento postal (CEPs), que vão levar uma série de facilidades aos moradores.

O primeiro efeito foi o mesmo em ambas localidades: muitos moradores sequer sabiam o nome da rua onde vivem (a maioria das ruas era conhecida apenas por números). “Muita gente aqui não sabia nem onde morava, era difícil dá um endereço correto. Acho que agora vai melhorar bastante, até para os serviços daqui”, celebrou o comerciante Heleno dos Santos, de 62 anos, que há 20 tem uma pequena mercearia na Rua José Santos de Siqueira Castro, no Marquês.

Do outro lado da rodovia RJ-106, quem vive no loteamento Condado de Maricá tem mais um motivo para comemorar. Um antigo problema com a distribuição de correspondência para os moradores está perto de acabar de vez. Eles ainda precisam buscar suas cartas e contas que chegam pelos Correios na portaria ou no centro comunitário do bairro, mas esperam que isso mude logo.

“Isso acontece porque ninguém sabia direito o nome das ruas, mas creio que agora o carteiro possa vir e entregar nas casas de cada rua, que agora têm nome e CEP”, acredita o Sebastião Ronaldo Correia Farias, de 36 anos, morador do Condado há 22.

Para quem faz entregas no bairro o trabalho também já melhorou. “Tem gente que já usa o nome da rua para pedir entrega em domicílio, melhorou para nós também”, garantiu Júlio César Oliveira, que chegava ao loteamento com um caminhão levando uma encomenda de telhas.

Outros bairros – Além do Condado e do Marquês, os bairros da Mumbuca, Itaipuaçu e Centro também foram beneficiados com a colocação das placas com os nomes e CEPs das ruas. O trabalho é resultado de uma parceria inédita no país entre a Prefeitura de Maricá e os Correios, que deu fim ao CEP único na cidade. A administração municipal investiu R$ 2 milhões no mapeamento aéreo do território (fotos via satélite) e no recadastramento de imóveis em 2011, para que os Correios efetivassem a divisão das 3.300 vias da cidade em diferentes Códigos de Endereçamento Postal. Esse trabalho foi realizado no segundo semestre do ano passado, por meio do projeto “Correios e prefeituras”.