Foto: Marcos Fabrício

A interrupção da vacinação contra a Covid-19 em Maricá a partir desta quinta-feira (22/04), ocasionada pela falta do imunizante permitiu a consolidação de indicadores de imunização significativos na cidade. Até a interrupção, cerca de 38.192 doses foram aplicadas (D1 e D2), com vários grupos prioritários tendo sido atendidos de forma completa.

Foram imunizados todos os Idosos das Instituições de Longa Permanência (ILPI) do município, mais aqueles que foram internados ao longo da campanha; todas as pessoas com deficiência institucionalizadas, incluindo os residentes dos Serviços de Residências Terapêuticas e 83,9% dos índios que vivem nas duas aldeias do município. Em uma delas, 100% da população alvo foi vacinada. Na outra, em Itaipuaçu, parte dos aldeados ainda esperam receber a vacina.

Houve imunização também de todos os profissionais de saúde atuantes no município, incluindo os vacinadores, os que atuam na linha de frente no combate à Covid-19, todos os demais profissionais de saúde da rede pública, assim como boa parte daqueles que atuam na rede privada da cidade. Foram imunizados, ainda, profissionais que residem na cidade mas atuam em outros municípios. No cálculo da Secretaria de Saúde, cerca de 94% dos profissionais de saúde foram vacinados e a diferença para a totalidade se deve justamente a aqueles que por atuarem fora receberam a vacinação nesses locais.

No caso dos idosos, assim como para outros grupos prioritários para a vacinação, é utilizado o Sistema do Programa Nacional de Imunização (SIPNI). Ocorre que Maricá é o município que mais cresce em população no Estado do Rio de Janeiro, assim como a sua população idosa. Os idosos cadastrados cresceram em 61% (um salto na ordem de 18.000 para 29.000 cadastrados) desde a campanha da influenza de 2020.

Por conta da divergência de dimensionamento por parte do Ministério da Saúde e da Secretaria Estadual de Saúde (que usam dados demográficos defasados do IBGE), Maricá vem recebendo desde janeiro uma quantidade menor de vacinas do que precisa. Este fato fica evidente quando se compara o dimensionamento dos grupos de idosos das faixas etárias abaixo de 75 anos de idade: Maricá tem 22.232 cadastrados e o MS aponta 12.559 idosos, faltando vacinas para 43,6% desse grupo prioritário. Quando analisada a faixa de 60 a 65 anos, são 8.976 idosos cadastrados pelo município, para 4.280 dimensionados pelo MS.

Apesar das dificuldades encontradas, a imunização conseguiu avançar nas faixas etárias de 75 a 79 anos, com 84,7% das pessoas vacinadas – de 70 a 74 anos, com 94,6% dos idosos – de 65 a 69 anos, com 93,6% e, até agora, a faixa etária de 64 a 60 anos teve um percentual de 32,1% (que atende à meta atual para essa faixa etária, conforme o Programa Nacional de Imunização). Em relação às Forças de Segurança Municipais, o município vacinou 68,3% da população alvo.

Por estas estatísticas apresentadas, o desempenho da vacinação no município permite verificar que o número de idosos vacinados corresponde rigorosamente ao dimensionamento feito pelo município. Portanto, há que se compensar as doses que vieram subdimensionadas. A reinvindicação da Prefeitura pelo aumento no quantitativo de doses foi oficializada ao Estado.

A vacinação será retomada assim que o município receber novas doses, seguindo o calendário já divulgado, com o adiamento das datas que serão atualizadas, na medida da chegada dos insumos.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here