Debates sobre educação em tempo integral - Foto: Elsson Campos

A terceira e última ação do Ciclo de Palestras do Programa Municipal das Escolas de Tempo Integral (Prometi), realizado pela prefeitura de Maricá através da Secretaria de Educação, reuniu diretores e orientadores pedagógicos em um debate sobre a metodologia das salas temáticas, que aconteceu no Jardim de Infância Municipal Trenzinho da Esperança, em Guaratiba.

De acordo com a secretária de Educação Adriana Luiza da Costa, o encontro permitiu a troca de experiências entre as escolas que já trabalham com salas temáticas e as demais. Atualmente a rede municipal de ensino conta com 64 unidades, sendo 21 delas de tempo integral. “As salas temáticas são espaços apropriados para diferentes atividades realizadas em uma escola. Ou seja, em vez do aluno ter uma sala para sua turma, ele se desloca para as salas da sua disciplina. Esta é uma forma de fazer com que o aluno explore a sua escola”, explicou Adriana, ressaltando que na educação infantil a metodologia já é adotada. “Nós já trabalhamos com as salas temáticas na educação infantil, agora estamos tentando implantar em toda rede, fazendo com que as crianças circulem pelas suas escolas e trabalhem a interdisciplinaridade. Acreditamos nesta metodologia como uma grande revolução, para fazer com que as crianças e jovens resgatem o prazer de estar no ambiente escolar. As escolas precisam ser prazerosas”, destacou.

Gerente do Prometi, Cláudia Cardoso dos Santos explicou que seis escolas que praticam esta modalidade de ensino no município foram convidadas a falar sobre os desafios e sucessos da iniciativa. “Através das salas temáticas, que são um indutor para educação integral, estamos trabalhando e enfrentando este desafio. Queremos mostrar que é possível, que a sala temática nos permite dinamizar o espaço da escola, fazendo com que as crianças possam se empoderar dentro deste ambiente que é legítimo delas”, avaliou.

Gestora da E.M. Reginaldo Domingues dos Santos, que atende 318 alunos em Ponta Negra, Cláudia Cristina Alcantara Medeiros falou sobre a importância da troca de ideias entre os gestores. “Essas conversas são sempre muito construtivas. Tudo que é novo nos parece desafiador, as vezes a chegada de uma metodologia nova esbarra na resistência de alguns profissionais, mas vendo o resultado apresentado pelas escolas que já estão implantando, percebemos que vale a pena encarar o desafio”, ressaltou Cláudia.

Para Joseany Mendonça da Costa, que é diretora da E.M. Pindobas, com 130 alunos, as escolas integrais trabalham com as potencialidades dos nossos alunos. “Há cerca de quatro anos trabalhamos com o projeto Mais Educação, que é também uma concepção do integral. Esta filosofia de ensino abrange o conhecimento como um todo. Esperamos logo poder implementar definitivamente a educação integral em nossa escola, porque percebemos que a comunidade necessita que seus filhos recebam maior suporte escolar, evitando que fiquem na rua”, afirmou.

A primeira roda de conversa aconteceu no CAIC Elomir Silva, em São José do Imbassaí, no dia 29 de junho, com o tema “Gestão democrática e participativa”. Já a segunda palestra, sobre o olhar do professor e as diferenças existentes em salas de aula, aconteceu no último dia 19 de setembro, na Escola Municipal Marisa Letícia Lula da Silva, localizada na Chácara de Inoã.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here