Prefeito entregou o troféu de campeão ao time master do Ponta Negra que venceu o Ubatiba - Foto: Clarildo Menezes

O Esporte Clube Amparo venceu por 3 a 2, nos pênaltis, o Inoã Esporte Clube, conquistando a Taça Cidade de Maricá 2017 (0 a 0 no tempo normal). A decisão aconteceu na sexta-feira (26/05), no Esporte Clube Maricá, ocasião em que o município comemorou 203 anos de emancipação político-administrativa. A Taça Cidade de Maricá faz parte do calendário oficial da cidade e este ano foi disputada com um novo regulamento, que incluiu novas categorias de base, além do torneio de masters. Desde a manhã da final, famílias dos jogadores e demais torcedores acompanharam de perto seus times e jogadores favoritos. A alegria do público, que levou torcida organizada com ‘charanga’, tomou conta do evento e deu ânimo aos competidores.

Times de 26 clubes disputaram o tradicional torneio, este ano incluindo categorias de base como sub 7, sub 9, sub 11 e sub 13 (futsal), além da sub 15 e Master, no futebol de campo (a partir dos 50 anos, com a alternativa de três jogadores de 47 e o goleiro, com 40 anos completos). O EC Maricá foi campeão nas categorias sub 11 (goleou por 11 a 0 o time de Manoel Ribeiro) e sub 13 (venceu Manoel Ribeiro por 10 a 9 nos pênaltis, após empatar em 2 a 2 no tempo normal). Já no sub 15, o Bairro da Amizade ganhou por 3 a 1 nas penalidades máximas do EC Maricá (2 a 2 no tempo regulamentar). Na categoria Master, o Ponta Negra derrotou o Ubatiba por 3 a 2 nos pênaltis (empate em 1 a 1 no tempo normal).

O jogo da categoria principal, o mais esperado, aconteceu entre o Amparo Esporte Clube e o Esporte Clube Inoã, este contando com uma torcida bastante animada. O primeiro tempo foi disputado pelos times com uma preocupação maior na defesa, embora tenha havido lances empolgantes, e tentativas de gol na pequena área e vários escanteios do time adversário. Depois do intervalo regular, as equipes partiram para o ataque, criando lances empolgantes. O placar normal terminou com 0 X 0, partindo as equipes, depois dos 15 minutos de descanso, para a disputa dos pênaltis, que deu a vitória para o elenco do Amparo E. C.

O artilheiro da Taça, na categoria principal, foi o ponteiro Roberto Ramos, do Amparo Esporte Clube, com seis gols. O goleiro menos vazado foi Saulo Douglas, do Esporte Clube Inoã. O prefeito Fabiano Horta, o secretário Geral e de Governo, Renato Machado, o secretário de Esportes e Lazer, Filipe Dias Bittencourt, e o coordenador de Esportes, Carlos Wagner Fauches, entregaram troféus e medalhas para os campeões. Para o prefeito, foi uma alegria acompanhar a final da Taça. “Acompanho há anos esse torneio, realizado desde a década de 1980. Quando o secretário de Esportes Filipe Bittencourt, me procurou propondo incluir no torneio as categorias de base, dei apoio desde o início a ideia. A formação das novas gerações no esporte, abre alternativas para o futebol e descobre novos craques, que são observados e convidados a treinar em escolinhas de futebol de campo e no futsal, que já tem seu espaço próprio. Parabéns à organização do evento, e aos campeões pelo belo espetáculo”, declarou.

Filipe Bittencourt declarou que, para 2018, haverá as categorias feminina, para pessoas com deficiência, e inclusão de outros esportes, além do futebol. “Devo o sucesso do evento à dedicação de toda a minha equipe, e à boa vontade dos clubes, de atenderem ao convite, participarem das reuniões e se ajustarem ao novo regimento. Todos trabalharam em prol do êxito da Taça, vivenciando companheirismo e união”, enfatizou.

Já o secretário de Governo, Renato Machado, adiantou que a possibilidade de se realizar um evento de porte como a Taça Maricá é perfeitamente possível com a participação consciente de todos, desde que com espírito esportivo e coletivo. “Não houve atritos nem confusão, porque a disciplina do torneio prevaleceu. É este comportamento que desejamos aos atletas maricaenses. O esporte, além de uma ferramenta de inclusão, promove a saúde e serve de modelo para os nossos jovens”, completou. O pedreiro Alan Almeida, 33 anos, morador no Caxito, estava com o filho Daniel Almeida, 4 anos, estudante do 2º ano do Pré-Escolar da CEIM do Bairro da Amizade. “Todo ano venho assistir. Gostei muito. Bem organizado e disputado, sem brigas. Se continuar assim, as famílias irão acompanhar mais”, concluiu.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here