Imagem da ponte na Av. 1 em Itaipuaçu que será substituída
Aposentado Benício Chirollo observa a ponte na Av. Zumbi dos Palmares que será trocada - Foto: Michel Monteiro

Quase quatro meses após a interdição para veículos pesados, em setembro, a ponte que liga a Avenida Zumbi dos Palmares (antiga Avenida Um) à orla de Itaipuaçu sobre o Canal da Costa – ao lado da chamada ‘Praça dos Gaviões’ – começará a ser substituída por uma nova estrutura ainda em janeiro. De acordo com a Secretaria de Obras de Maricá, a atual passagem começa a ser desmontada nos próximos quinze dias para a instalação da nova ponte, que terá 11 metros de largura e 27 de extensão em vão livre – haverá cabeceiras de concreto no lugar de pilares sobre o canal. A obra, que tem caráter emergencial e duração prevista de cinco meses, está orçada em R$ 1,8 milhão.

“Ao lado do local e antes da retirada da antiga ponte, será erguida uma passagem provisória para pedestres que quiserem acessar a praia. Os carros vão poder estacionar em uma área que fica em frente à praça”, detalhou o secretário Marcos Câmara, referindo-se ao terreno na esquina da Avenida Zumbi dos Palmares com a Rua Antônio Marques Mathias (antiga Rua 36). Os motoristas que preferirem ir até a praia terão de seguir por esta última via até a Rua Professor Cardoso de Menezes (antiga Rua Um) para, de lá, chegarem à orla.

Em setembro, a Defesa Civil Municipal interditou definitivamente o trecho para a passagem de veículos pesados, como caminhões. No entanto, as barreiras de concreto instaladas na ocasião foram removidas – como em outras ocasiões – e a circulação novamente se manteve. Na parte de baixo da estrutura, é visível que as condições de sustentação são precárias. Há quatro anos, o dono de uma pousada próxima chegou a instalar escoras de madeira com a ajuda de vizinhos, mas apenas uma continua no lugar.

“Dá para ver claramente que o concreto se esfarelou, as paredes estão corroídas e os vergalhões estão à mostra. Espero realmente isso melhore porque é importante para nós”, disse o empresário Benício Chirollo, de 81 anos, que é italiano e mora na região desde o início dos anos 1980.

Em cima da ponte, passa apenas um carro por vez de forma quase ininterrupta e os pedestres têm dificuldade em atravessar.  A dona de casa Veronice Santana Martins, de 40 anos, teve de esperar a passagem de seis veículos até conseguir cruzar a via com os três filhos pequenos, um deles num carrinho. “É bastante difícil passar, esperei bastante tempo. Tem mesmo que ter outra ponte aqui, mais larga”, sentenciou.

 

Este conteúdo é protegido.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here