Saúde faz oficina de capacitação para a família

0
504
Andréia Faro falou da gravidez de alto risco, maturidade dos pais, consequência do uso de drogas, entre outros temas

A Secretaria Municipal Adjunta de Saúde, através do Programa de Atenção Integral à Saúde da Mulher, Criança e Adolescente (PAISMCA) realizou nesta quarta-feira (30/03), a 1ª Oficina de Capacitação em Saúde da família. Com o tema Puericultura (acompanhamento e estudo do bebê e da família), o evento foi direcionado a médicos e enfermeiros da Atenção Básica. Dentre os assuntos abordados estavam a gravidez de alto risco, maturidade dos pais, consequência do uso de drogas, amamentação, a função paternal e a chegada do recém-nascido à residência. Coordenadora do PAISMCA, Maria Magdalena Kelly explicou que o objetivo foi o de acolher todas as crianças e oferecer assistência de forma integrada. “Visamos acompanhar o processo de crescimento e desenvolvimento e monitorar os fatores de risco ao nascer e evolutivo e dessa forma, garantir atendimento de qualidade”, afirmou a coordenadora.

Palestrante da capacitação para os médicos durante a manhã, a pediatra Andréia Faro esclareceu diversos temas e destacou que a atenção à puericultura começa no bebê intraútero e vai até a sua adolescência. “Acreditem na palavra do profissional de saúde. Isso é para melhorar a vida dos bebês e daqueles que podem ou não ter uma patologia”, avaliou. A médica ainda chamou a atenção para a questão das drogas. “É um problema mundial. Que as gestantes acreditem realmente que o uso pode fazer mal ao bebê intraútero ou no momento do parto ou mais para frente”. Ela ainda fez um pedido. “Nunca deixem de informar ao profissional de saúde a utilização dessas drogas”, pediu a pediatra.

Médica do PSF Ubatiba, a ginecologista e obstetra Sandra Maria Monteiro de Oliveira aprovou a capacitação. “Abordamos conhecimentos que existiam, mas que não faziam parte de nossa rotina e que a partir de agora, passam a fazer parte”, disse. Para a pediatra Henriette Hasselmann, que atua no posto central, o encontro foi ótimo. “Atendo crianças de qualquer idade. Recebemos esclarecimentos sobre o quanto é abrangente nossa especialidade em relação a toda a faixa etária, que vai até os 19 anos de idade”, declarou a pediatra.

À tarde, a enfermagem também aproveitou e tirou dúvidas. É o caso de Thatiana Costa, da Estratégia Saúde da Família Caio Figueiredo em Inoã. “A atualização dos profissionais que atuam na rede refletem na melhoria da qualidade da assistência prestada”, avaliou a enfermeira. O palestrante foi Rafael Dias, doutor em enfermagem e coordenador do Núcleo de Apoio à Estratégia Saúde da Família (NASF). Segundo ele, a puericultura é de grande importância para a saúde da criança. Rafael convidou a população a procurar a unidade de saúde, a participar das consultas com enfermeiros e médicos a fim de fazer o acompanhamento do crescimento e desenvolvimento das crianças. “O foco principal é trazer entendimento aos profissionais para levar essas informações à comunidade”, declarou Rafael.

“Nossa intenção é atualizar o profissional médico e enfermagem que recebem nas nossas unidades esses bebês, estreitando ainda mais as relações da família com os profissionais que estão próximos a eles. A puericultura acompanha e estuda o bebê, a sua família e seu entorno focando no calendário vacinal, na prevenção de doenças, no crescimento. Enfim, no desenvolvimento físico, cognitivo e psicossocial desse pequeno cidadão”, concluiu a subsecretária de Atenção Básica, Claudia Souza.