Educação realiza Feira Integrada de Ciências na Mumbuca

0
1692

Atividade reúne 740 alunos na Escola Municipal Joaquim Eugênio dos Santos entre quinta e sexta-feira, dia 12 e 13 de novembro

A Escola Municipal Joaquim Eugênio dos Santos, na Mumbuca, promove entre hoje e amanhã (12 e 13/11), a 6º Feira Integrada de Ciências com o tema “Maricá Sustentável”, com trabalhos que abordam a Mata Atlântica e seus ecossistemas, animais em extinção, alerta contra queimadas e poluição, sistema lagunar e localidades rurais preservadas, como o Espraiado. Os 740 alunos (incluindo 240 alunos do horário integral) da escola participam em dois turnos, manhã e tarde.

A visitação, aberta à comunidade, inicia pela entrada da escola, com uma horta suspensa de ervas (tempero natural). Cada sala aborda um tema – “Animais marinhos e da Mata Atlântica” (Pré-Escolar), “Animais de jardim” (1º ano do Ensino Fundamental), “Rios e Cachoeiras” (Espraiado – 2º ano), “Lagoa de Araçatiba, com fauna, flora e a 1ª missa em Maricá” (3º ano), “Farmácia Caseira” (ervas medicinais), “Caminho Darwin”, “Flora da Mata Atlântica”, “Animais em Extinção” e “Reaproveitamento de Alimentos”, as últimas do 5º ano. Com alunos servindo de guias nas salas, a feira está sendo elogiada pelo público, que, ao sair, recebe mudas de ervas medicinais, doces caseiros ou sementes de espécies nativas.

A aluna do 5º ano do Fundamental, Ana Clara de Souza Borges, 11 anos, foi uma das guias na parte da manhã. Ana falou sobre a importância da preservação ambiental e da medicina caseira. Mudas de cana do brejo, aroeira, arruda e pintaqueira, entre outras, foram apresentadas ao público. "As plantas medicinais aliviam os sintomas de doenças mais comuns, e muitas estão em teste para combater doenças graves como o câncer e a aids", informou. Os alunos Alan Rogerio e Vitoria Fernandes, ambos com 8 anos e alunos do 3º ano, passaram orientações da Lagoa de Araçatiba, local onde foi celebrada a primeira missa de Maricá, pelo padre José de Anchieta, em 1584. "Depois disso, aconteceu o Milagre dos Peixes. Araçatiba é um lugar bonito e histórico", acrescentaram.

A cabeleireira Natália Lima, 28 anos, moradora na Mumbuca, é mãe de Ana Luiza, 7 anos, do 1º ano do Ensino Fundamental. Com a pequena Manuela, de três meses, ao colo, ela elogiou a iniciativa de escola. “Matriculei a Ana Luiza há um ano aqui, por indicação. A escola é muito boa, os professores são dedicados”, declarou. A dona de casa Ana Claudia Ferreira, 27 anos, moradora de Itapeba achou “tudo muito lindo, feito com amor”, disse. Ao seu lado, o filho João Victor, 9 anos, aluno do 1º ano, concordava.

Segundo a orientadora pedagógica Luila Ribeiro, toda a Feira é artesanal, trabalhada pelos alunos e professores, com foco na ecologia, da qual o homem faz parte. “Falamos da terra, das matas, dos rios, lagoas e mares, animais e do homem. Com a feira, reforçamos a Educação Ambiental desde os primeiros anos”, garantiu. A participação na atividade acrescenta pontos na ficha do aluno. A coordenadora municipal de Ciência e Tecnologia, Mônica Salles, enfatizou que o foco é interdisciplinar sobre a sustentabilidade. “Vamos distribuir, em breve, na rede escolar a edição deste ano do Projeto Redação, com o tema Maricá Sustentável”, disse a diretora Carla Marcele.

Miriam Moraes, do Conselho Escola/Comunidade (CEC), afirmou que a Feira Integrada de Ciências foi montada de acordo com a proposta de sustentabilidade. “Um trabalho artesanal muito bonito. Professores e alunos estão de parabéns", ressaltou Miriam. Avaliadores da Secretaria Municipal de Educação, Marcus Lacerda, Dirce Figueira e Ana Jandre, deram a nota 5, máxima para o evento. “Os professores aqui são mágicos e sempre nos surpreendem”, frisou Ana Jandre. “A rede municipal de ensino de Maricá tem um trabalho que muitas escolas particulares não têm”, finalizou Marcus Lacerda.