Dos quadrinhos para a tela: "Immortel (Ad Vitam)" é a misteriosa e sobrenatural atração sci-fi do Cineclube Henfil

0
888

O Cineclube Henfil apresenta nesta quarta-feira (16/09), a partir das 19h, na Casa Digital, com entrada franca, mais um longa da série de filmes sobre ficção científica que estão sendo exibidos em setembro. A película desta semana é "Immortel (Ad Vitam)", releitura em animação combinada com filme (uma técnica conhecida como Digital Backlot) das graphic novels  "La Foire Aux Immortels (O carnaval dos Imortais)" de Enki Bilal. O artista, que nasceu na antiga Iugoslávia e atualmente vive na França, foi o responsável pelo roteiro e direção.

O filme, com 103 minutos, é francês e foi produzido em 2004. A técnica é a mesma utilizada em filmes como "Capitão Sky e o Mundo de Amanhã" e mistura atores de verdade com personagens em animação. O estúdio responsável pelo trabalho com a parte de graphic é o Quantic Dream, empresa francesa especializada na criação de games de alta resolução. 

Entre os nomes mais conhecidos do elenco está a atriz Charlotte Rampling. Na trama, passada dentro de uma estranha pirâmide flutuante na Nova York de 2095, os deuses do antigo Egito julgam Horus, um deus com corpo de homem e cabeça de falcão. Sob a cidade, ocupada por seres humanos geneticamente alterados, vive uma misteriosa mulher de cabelo azul que derrama lágrimas azuis. Seu nome é Jill Bioskop (vivida pela atriz Linda Hardy). Ela não sabe, mas Horus cruzou o universo para conhece-la e foi condenado a morte pelos seus pares por isso. O deus tem sete dias de vida, sete dias para encontrar Jill, seduzi-la e possuir seu corpo, pois ela tem a capacidade genética de engravidar de um Deus, o que concederia a imortalidade ao condenado Horus. 

Para conseguir seu intento Horus assume o corpo de Nikopol (Thomas Kretschmann), um prisioneiro político que foi congelado há trinta anos por saber demais e que havia acabado de fugir da prisão.