Maricá celebra Dia Mundial de Combate à Violência Contra o Idoso

0
355

Na próxima segunda-feira (15/06), a Prefeitura de Maricá comemora o Dia Mundial de Combate à Violência Contra o Idoso com diversas atividades na Praça Conselheiro Macedo Soares, das 9h às 12h. Idealizado pela Secretaria Municipal Adjunta do Idoso, o evento terá apresentação de dança do ventre e Tai Chi Chuan dos integrantes da Casa do Idoso Mais Feliz, do Grupo Musical Nossa Alegria e distribuição de material informativo sobre o tema.

A secretária municipal adjunta do Idoso, Lezireé Figueiredo, comentou que a data é importante não só para alertar sobre os maus tratos ao idoso, mas para reafirmar o compromisso da Prefeitura em oferecer projetos e qualidade de vida também para este público. “Oferecemos diversos cursos para os idosos e todos são bem vindos. Queremos vê-los felizes, alegres, sem preocupações. Esta campanha é também para alertar sobre os maus tratos e para que as pessoas denunciem os casos de abuso", disse.

Referência no Estado do Rio de Janeiro, a Casa do Idoso Mais Feliz oferece gratuitamente dezenas de atividades esportivas (natação, hidroginástica, Tai Chi Chuan e alongamento), culturais (artesanato, teatro, música, canto, dança criativa, dança de salão, dança cigana, dança sênior) e sociais (cursos, palestras, passeios, apresentações e confraternizações). Ao todo, cinco mil idosos estão cadastrados no programa. No município, há quatro unidades: Centro, Santa Paula, Itaipuaçu e São José do Imbassaí, além de cinco núcleos nos bairros Bambuí, Marquês, Itapeba e Inoã (Fernando Mendes e Bananal).

Dados da violência

Segundo dados do Ministério da Saúde, a cada hora são registradas no país cinco denúncias de violência contra pessoas da terceira idade, incluindo maus tratos, negligência e agressões psicológica e financeira. Os tipos de violência denunciados com mais frequência são os de negligência (75,07%), agressão psicológica (56,06%) e de abuso financeiro e econômico (45,48%). Denúncias de violência física somam 28,03%. Ainda de acordo com o ministério, pouco mais de 70% dos suspeitos denunciados têm parentesco direto com a vítima, como filhos, noras ou genros.

Quem tiver alguma informação que possa evitar os maus tratos ao idoso deve entrar em contato com a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República através do disque 100.