Maricá licita o primeiro Plano de Saneamento de sua história

0
1141
Operários trabalham nas obras do Pacto pelo Saneamento, na Mumbuca.

Empresa vencedora está sendo contratada; estudos vão nortear novos investimentos

A Prefeitura de Maricá deu mais um importante passo para ampliar os investimentos em esgotamento sanitário na cidade. Pela primeira vez na história, o município terá um Plano Municipal de Saneamento, que reunirá todos os dados técnicos necessários para o planejamento de obras, a obtenção de recursos e a execução de projetos em coleta e tratamento de esgoto; abastecimento de água; drenagem de águas pluviais e destinação adequada de resíduos sólidos, entre outras soluções.

No início de dezembro, por meio de licitação, a atual administração definiu a empresa que vai elaborar o Plano Municipal de Saneamento – que será financiado integralmente com recursos próprios. A vencedora está sendo contratada e o trabalho, que vai durar 12 meses, incluirá todos os estudos técnicos, além de audiências públicas para a discussão de temas relevantes com os moradores, conforme antecipa a Coordenadora de Projetos e assessora especial de Saneamento Ambiental da Prefeitura, Luciana Andrade.

– A expectativa é que no início de janeiro a empresa já comece a trabalhar, avaliando as atuais condições estruturais e também as perspectivas de crescimento da cidade nos próximos 30 anos, para apontarem os caminhos que devemos seguir.

Ainda segundo Luciana, a elaboração do Plano de Saneamento não afetará os projetos em andamento e obras já contratadas. “É importante que se diga que a prefeitura está atenta ao futuro, mas agindo também no presente para melhorar a qualidade de vida dos maricaenses. O que o plano vai fazer é garantir condições para que a cidade obtenha ainda mais verbas”, disse.

 

Obras e projetos em saneamento somam R$ 206 milhões

Maricá vive a sua melhor fase quando o assunto é investimento em coleta e tratamento de esgoto. Somadas as obras em execução e as verbas previstas em projetos já licitados, a cidade concentra cerca de R$ 206 milhões. Deste montante, R$ 33 milhões do PAC 2 para o esgotamento sanitário do Centro (projeto licitado pelo Inea em novembro desse ano e previsão de início para fevereiro de 2014); R$ 60 milhões de contrapartida da Petrobras (obras em andamento com 16 Km de novas redes de coleta de esgoto, elevatória e emissário submarino com início na Barra de Maricá); e outros R$ 22,5 milhões, também do PAC 2, que estão em fase de entrega do projeto final da Prefeitura para a Caixa Econômica liberar os recursos. Além disso, R$ 113 milhões serão investidos em Inoã e Itaipuaçu.

– “As obras de contrapartida da Petrobras somam R$ 60 milhões e tiveram quase 100% da primeira etapa cumpridos, com o assentamento da rede de coleta de esgoto na região central. O próximo passo é a construção de uma elevatória em Araçatiba, que ligará a rede até Barra de Maricá, onde será instalado o emissário submarino,” detalha Luciana Andrade.

Ainda segundo Luciana, os projetos abrangem diversas regiões da cidade e uma preocupação em preservar os rios e o sistema lagunar da cidade. “Não são projetos isolados. Toda a cidade terá um salto de qualidade em coleta e tratamento de esgoto”, explica.