Mais de 400 famílias de baixa renda já estão cadastradas no Bolsa Mumbuca

0
2632
Rodoviária do Povo de Maricá um dos locais de inscrição do Programa Social Bolsa Mumbuca

Mais de 400 famílias de baixa renda já se cadastraram na primeira semana do Programa Social Bolsa Mumbuca, direcionado para famílias de baixa renda, e que tem como objetivo o combate à pobreza extrema no município e o estímulo ao comércio local. O cadastramento segue até a próxima sexta-feira, dia 20/12, em 19 escolas municipais (conforme lista abaixo), além de postos volantes na Rodoviária do Povo de Maricá, no Centro e no Terminal Rodoviário de Itaipuaçu. Na primeira etapa, a meta é cadastrar cinco mil famílias, com a previsão de atender, no próximo ano, 13.500. O cadastramento é uma etapa da implantação da Moeda Social Mumbuca, moeda local, que poderá ser usada em estabelecimentos comerciais cadastrados no projeto.

De acordo com o secretário municipal de Direitos Humanos e responsável pelo programa, Miguel Moraes, após a etapa do cadastramento, equipes visitarão as famílias cadastradas para verificar as informações. “Depois disso será feito o lançamento oficial do projeto e a entrega dos primeiros cartões com um benefício mensal de 70 mumbucas (o que equivalente a R$ 70)”, afirma Moraes. Segundo o secretário, o grande diferencial da Mumbuca em relação às outras moedas sociais está no fato de ser uma complementação para as famílias de baixa-renda, com a previsão de chegar a 300 Mumbucas por família até 2016. A moeda terá recursos mensais da ordem de R$ 1 milhão para essa finalidade.

Quem já se inscreveu está ansioso para receber o benefício. Luciana Barbosa Mariano, de 42 anos, moradora do bairro Pedreiras, foi uma das primeiras a se inscrever. Mãe do pequeno Murilo, de três anos, é beneficiária do Bolsa Família e tira por mês cerca de R$ 200 com faxinas que realiza. Com a ajuda mensal do Bolsa Mumbuca, ela pretende reforçar a compra de alimentos. “Passo grandes apertos, tem mês que não pago a conta de luz, outro não pago a de água e desse jeito vou me esforçando para sobreviver. Agora, com essa ajuda, poderei melhorar a alimentação do meu filho”, ressaltou Luciana.

A diarista Victória Regis de Oliveira, de 54 anos, mora em Maricá há um ano (bairro Mumbuca) com a filha e uma neta. A renda mensal de sua família não chega a R$ 400, enquanto as despesas ultrapassam R$ 800. “Minha filha está buscando emprego para melhorar nosso orçamento, mas enquanto isso não acontece, esse benefício será uma grande ajuda para o nosso sustento”, frisou. A moradora do Boqueirão Anny Cibelly Martins de Siqueira, de 28 anos, também já faz planos para gastar o benefício de 70 mumbucas. Mãe de três filhos (um de 12 anos, outro de 10, e a caçula de oito anos), Anny vende salgados por conta própria e tira por mês cerca de R$ 500. “Só de aluguel pago R$ 300, além da conta de água, luz, gás, remédio e comida. Esse benefício vai aliviar muito o orçamento mensal. Pretendo melhor a alimentação das crianças e poder comprar novos sapatos pra eles”, destacou. Para se inscrever 

Para se inscrever no Programa Social Bolsa Mumbuca, as famílias têm de atender a alguns critérios: ter renda familiar de até um salário mínimo e residir no município de Maricá há mais de seis meses. Desde que respeitados os critérios sócios econômicos, o programa também atende às famílias que tiverem idosos acima de 70 anos, filhos portadores de deficiência, pessoas com doenças crônicas, devidamente comprovadas por laudo médico e famílias com filhos menores fora da idade escolar; gestante que comprove assistência médica de pré-natal e famílias cadastradas ou não no Programa Federal Bolsa Família.

Os interessados devem apresentar alguns documentos do representante familiar como cópia da identidade autenticada; cópia do CPF; cópia do título de eleitor; cópia do PIS ou PASEP; comprovante de residência; cópia do comprovante de endereço; carteira funcional; cartão do INSS (auxílio doença ou aposentado). Também é necessária a apresentação do comprovante de vacinação dos dependentes de zero a seis anos; matrícula escolar de seus dependentes nas redes estadual ou municipal de ensino no município de Maricá, com a devida comprovação de permanência na escola; o boletim escolar das crianças matriculadas na rede pública (Estadual e Municipal) e declaração de rendimento escolar de quatro em quatro meses.

Lista das escolas onde se cadastrar:

1) CEIM Prof. José Carlos de A. e Silva – Rua Tocantins Quadra 31 Lote 01 – Inoã;

2) CEIM Marilza da Conceição R. Medina Rua 10 s/nº – Cordeirinho;

3) CEM Joana Benedicta Rangel – Avenida Nossa Senhora do Amparo nº 57 – Centro;

4) E.M. Antônio Rufino de S. Filho – Estrada da Gamboa s/nº – Caju; 

5) E.M. Barra de Zacarias – Rua dos Pescadores – Zacarias;

6) E.M. Benvindo Taques Horta – Rua José Fortes da Silva s/nº – Ubatiba; 

7) E. M. CAIC Elomir Silva – Avenida Guarujá s/nº km 22 – Marine; 

8) E.M. Casa da Criança de Itaipuaçu – Rua Caio Francisco Figueiredo s/nº – Itaipuaçu;

9) E.M. Guaratiba – Rua 4, Lote 13, Quadra E – Guaratiba; 

10) E.M. João Eugênio dos Santos – Rua Ledo Barroso Bittencourt s/nº – Mumbuca;

11) E. M. João Monteiro Rua 7 s/nº –  Recanto de Itaipuaçu;

12) E. M. Marcus Vinícius C. Santana – Rua 56 Lote 18 Quadra 90 – Bairro da Amizade; 

13) E.M. Marques de Maricá – Rua 83 Esquina 36 – Ponta do Francês; 

14) E.M. Maurício Antunes de Carvalho – Rua 73 Lote 1 – Saco das Flores; 

15) E.M. Professora Alcione S. R. da Silva – Estrada de Bambuí – Bambuí;

16) E.M. Reginaldo D. dos Santos – Rua São Pedro Apostolo s/nº – Ponta Negra; 

17) E.M. Retiro – Estrada Retiro s/nº – Retiro;

18) E.M. Rita Sampaio Cartaxo – Rua Guarani s/nº – Itaocaia Valley – Itaipuaçu; 

19) E.M. Vereador Osdevaldo M. da Matta – Estrada de Cassorotiba s/nº – Santa Paula;