Homenagem à cultura africana marca Marikafro Fashion

0
1662
Desfile em homenagem aos orixás da cultura africana foi uma das atrações do MariKafro Fashion

Evento promovido pela subsecretaria de Diversidade Racial de Maricá contou com apresentações de teatro, dança, música e um desfile de beleza negra

Em homenagem ao Dia da Consciência Negra – comemorado na última quarta-feira (20/11) – a Prefeitura de Maricá promoveu no dia anterior (19) uma festa gratuita da cultura africana, no Esporte Clube Maricá, no Centro. A primeira edição do “MariKafro Fashion”, organizado pela subsecretaria de Diversidade Racial, da secretaria de Direitos Humanos e Cidadania, com apoio da Cultura, contou com apresentações de teatro, dança, música e o desfile de beleza negra.

A principal atração do MariKafro foi o I Desfile de Beleza da Cultura Afrodescendente, realizado em parceria com a Fonte de Orientação Religiosa das Matrizes Africanas (Forma). Moradores de Cordeirinho usaram roupas, cedidas pela loja Modupe, e folhas de árvores para representar os orixás, deuses da cultura africana. Eles desfilaram ao som dos tambores tocados pelo babalorixá e ministro da cultura afro religiosa, Jonas de Jagun, o Jonas Liminha, que é superintendente da secretaria municipal de Assuntos Religiosos, e o babalorixá Bruno Logan. O secretário municipal de Direitos Humanos, Miguel Moraes, destacou a importância do evento. “Isso demonstra o negro ocupando espaço seu espaço na sociedade, com cargos de destaque no mercado de trabalho. Este evento representa o valor da cultura negra”, declarou o secretário. “Consciência é não ter preconceito”, completou o subsecretário de Diversidade Racial, Joel Rocha.

Segundo a superintendente da subsecretaria de Diversidade Racial e organizadora do evento, Tânia Maria Rangel, o “MariKafro Fashion” representou a cultura africana desde o tempo da escravidão – com negros trazidos da África para o Brasil – até os dias atuais. “Cantores da secretaria de Cultura fizeram shows em tributo Pixinguinha, Cartola e Emílio Santiago”, destacou a superintendente.

O evento também homenageou os índios e os ciganos. Na abertura, o coral da tribo Guarani Mbya, moradores de São José, apresentou músicas típicas da cultura indígena. Em seguida, alunos das escolas estaduais de São Gonçalo – Francisco Lima e Tarcísio Bueno – apresentaram a peça teatral “Navio Negreiro”.

Para a moradora de Cordeirinho, Luanda Assis Morgado, que também organizou o evento, o MariKafro foi importante para a população conhecer um pouco mais da história do Brasil. “A ideia é mostrar a união das raças do povo brasileiro e como a cultura africana influenciou a formação da nossa identidade, nas roupas, culinária, música, dança e tantos costumes”, frisou Luanda.

MariKafro Capoeira Fest

A subsecretaria de Diversidade Racial ainda promove em novembro, no dia 28, a “MariKafro Capoeira Fest”, rodas de capoeira em homenagem a Valdir Calado, o mestre Dico, que oferece aulas do esporte desde 1987 em Maricá e que já formou mais de mil alunos, entre professores e instrutores de capoeira. Ex-alunos do mestre Dico farão uma apresentação no anfiteatro da Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel, no Centro, a partir das 19h. O evento também tem apoio da Cultura.

Homenagem aos orixás

Desta segunda-feira (18/11) até o fim de novembro, as palmeiras da Praça Dr. Orlando de Barros Pimentel, no Centro, estarão vestidas com roupas que representam os orixás, deuses africanos da religião candomblé. Segundo o coordenador da mostra Walter Ramos, da secretaria municipal de Cultura, cada árvore foi vestida com as cores dos orixás. “A partir da ideia do Jonas Liminha, superintendente da secretaria municipal de Assuntos Religiosos, criamos esta exposição”, conta Walter. Cada árvore representa um dos oito orixás: Oxalá (branco), Ogum (azul e branco), Oxóssi (verde, azul claro e amarelo), Xangô (vermelho escuro), Oxum (amarelo), Iansã (vermelho), Iemanjá (azul claro) e Nanã (lilás).