Prefeito reeleito apresenta equipe do segundo governo

0
2457
Da esquerda para direita: vice-prefeito Marcus Ribeiro; prefeito Washington Quaquá; primeira-dama Rosangela Zeidan e vereador Fabiano Horta.

O prefeito reeleito, Washington Quaquá, apresentou nesta sexta-feira (14/12), durante coletiva de imprensa na sede da prefeitura, a equipe de trabalho para o novo governo (2013 a 2016).

Além de adiantar nomes de algumas pastas e de apresentar o vice-prefeito, Marcos Ribeiro, como o coordenador-geral do governo – “nosso time agora terá dois atacantes, em vez de um”, brincou Quaquá – anunciou projetos prioritários para os próximos quatro anos e destacou que o foco será a eficiência e o aproveitamento de bons quadros da administração pública da própria cidade. “Não vamos tolerar funcionários que não produzam. Esse governo será marcado por serviços de qualidade”, afirmou o prefeito. “Essa é uma inovação em Maricá e ser o coordenador significa ajudar a máquina a funcionar, se mover, ir sempre à rua ver o que as secretarias precisam”, completou Marcos Ribeiro.

O prefeito também enumerou as bandeiras de luta da gestão 2013-2016. A principal é acabar com o monopólio do transporte de ônibus na região, trazendo novas empresas para melhorar a concorrência e os serviços prestados. Outro ponto essencial é o da segurança pública, com a instalação de um batalhão da PM na cidade. “O 12º BPM não consegue cuidar nem de Niterói. O que o comandante do batalhão faz com Maricá é uma irresponsabilidade”, atacou Quaquá, lembrando que o efetivo local é de 30 policiais, “para um município de 360 km quadrados de área”.

A terceira bandeira, o abastecimento de água, também vai merecer pressão constante. “A Cedae ganhou a renovação do contrato de concessão aqui no apagar das luzes do mandato do meu antecessor e não está cumprindo o que deveria”, afirmou o prefeito. “A cidade está crescendo e, especialmente o Centro não pode ficar sem água como tem acontecido”, completou, lançando o mote da campanha: “ou a água entra, ou a Cedae sai”. Ao seu lado, a primeira-dama e suplente de deputada estadual pelo PT, Rosangela Zeidan, enfatizou: “Maricá vive o melhor momento econômico e contamos com a comunicação para que levar adiante essas bandeiras com sucesso”.

Mudanças na Saúde e na Cultura

Uma das mudanças de secretariado mais destacadas está na Saúde. A médica Janete Valadão, que já presidiu a associação médica de Maricá, deixa a extinta pasta de Gestão das Metas de Governo para assumir a secretaria municipal de Saúde, no lugar de Carlos Alberto Malta Carpi. Janete esteve recentemente com o prefeito em Cuba para implantar em Maricá um modelo de saúde próximo ao praticado no país caribenho. Uma das ações já planejadas é a vinda de vinte médicos brasileiros, treinados em Cuba, que atuarão como consultores da prefeitura. “Nós estivemos nas policlínicas cubanas, vimos o modelo deles e é isso que a Janete, que é uma médica respeitada no município, fará”, afirmou o prefeito. Outros projetos importantes, como a construção do novo hospital municipal Dr. Ernesto Che Guevara, continuam em andamento e serão retomados em janeiro, após o período de fechamento de contas.

Na cultura, o historiador de MPB Ricardo Cravo Albin deixa o cargo para dá lugar a Sérgio Mesquita, especialista em Tecnologia da Informação e em desenvolvimento de sistemas para TV. O novo secretário terá como prioridade, a pedido do prefeito, aproximar ainda mais a cultura das políticas de educação do governo, criando soluções intersetoriais que ampliem a difusão cultural nas escolas, por exemplo. Outra meta é ampliar a participação popular em projetos da área cultural.

Depois de netbooks para alunos, prefeitura irá distribuir tablets para profissionais da educação

Após distribuir 14 mil netbooks aos alunos da rede municipal de ensino, o prefeito vai ampliar o programa de inclusão digital na cidade com a distribuição de tablets aos professores, orientadores pedagógicos e monitores, com o equipamento sendo acompanhado dos programas de educação que permitem seu uso otimizado. A secretária de Educação, Marta Quinan, foi mantida no cargo para, segundo ele, continuar o excelente trabalho realizado, que culminou, recentemente, com a assinatura de um convênio com uma escola de hotelaria e o trabalho em torno da vinda de uma unidade do Senai para a cidade.

O prefeito também confirmou os entendimentos para a construção do Oceanário na lagoa de Ponta Negra, um dos últimos projetos assinados pelo arquiteto Oscar Niemeyer, que faleceu na semana passada. O projeto será uma das principais missões do secretário de Turismo e Lazer, Amaury Vicente, mantido no cargo. Na secretaria de Trabalho, Patrícia Villela cede o posto a Rosana Horta, e a secretaria terá a importância estratégica no governo reforçada com uma nova sede e a ampliação dos serviços. “O trabalho de qualificação de mão de obra e de acesso ao trabalho feito pela secretaria foi tão eficiente que hoje Maricá seleciona pessoas pelo Sine para atender a empresas em outros municípios”, afirmou o prefeito.

Nas secretarias Executiva, de Assistência Social, de Controle Interno, de Desenvolvimento Econômico, Assuntos Federativos e de Obras não haverá mudanças. Continuam à frente os secretários Márcio Leite, Laura Maria Vieira da Costa, Joab Santana, Lourival Casula, Fabiano Filho e Fernando Rodovalho. A Procuradora Geral do Município Maria Inez Pucello também foi reconduzida. Já a secretaria de Urbanismo e Ambiente será desmembrada: na primeira permanece Celso Cabral, na segunda, o nome ainda será anunciado.

Foram apresentadas duas novas pastas: a secretaria do Idoso e a de Religiosidade (“o nome ainda é provisório", disse Quaquá). A primeira é um desmembramento das ações realizadas para a terceira idade pela assistência social. “O trabalho foi tão bem feito com as Casas da 1ª à 3ª Idade que vamos ampliar, agregando também mais serviços de saúde”, definiu o prefeito. Já a pasta ligada à religião é, na definição do Executivo, uma forma de aproveitar o papel das igrejas como núcleos de apoio social e de inclusão.

Obras terão ainda mais prioridade

Perguntado sobre as obras, o prefeito disse que vai dobrar as intervenções na cidade já em 2013. “Vou fazer mais obras no próximo ano do que realizei em 2012. As intervenções em andamento serão concluídas e darei prioridade à orla de Itaipuaçu”, adiantou Quaquá, que conta com o apoio da Câmara Municipal. “A perspectiva da Câmara é a da sinergia como a melhor palavra nessa relação com o governo. Teremos o olhar independente mas ciente da necessidade de contribuição”, descreveu o vereador reeleito Fabiano Horta, líder do governo na Casa. “Maricá vive um processo de transição entre cidade pequena para cidade média de forma muito acelerada e aos legisladores cabe um papel de pensar a cidade que queremos”, encerrou.