Maricá quer a excelência no turismo

0
1667

Identificar demandas, perceber vocações e propor ferramentas que promovam o crescimento do turismo em Maricá. Essas são as metas da parceria firmada entre a Prefeitura do município, através da Secretaria de Turismo, e a Fundação Getúlio Vargas (FGV) para realizar um Estudo de Competitividade, que segue moldes semelhantes aos de outros 65 destinos indutores do Turismo no país. Os resultados serão divulgados nesta segunda-feira, dia 27, durante o seminário sobre Competitividade Turística, que acontece na casa de festas Palladon, das 08:30 às 18 horas, no Flamengo, em Maricá.

O evento contará com a presença de representantes de diversas entidades ligadas ao turismo e ao comércio local, como o Ministério do Turismo, a Turisrio e a Câmara dos Dirigentes Lojistas de Maricá. Organizador do estudo e mediador do debate, Airton Pereira Jr, da FGV, fará um amplo relato sobre o setor como indutor de desenvolvimento econômico e de inserção social. “Para que Maricá desfrute dos benefícios do turismo é necessário formatar e potencializar seus atrativos turísticos, capacitar sua mão de obra, incentivar seus empreendedores, divulgar sua história, cultura e belezas naturais”, diz ele.

O secretário municipal de Turismo, Wagner Medeiros, explica que, além deste estudo (visto como peça central na construção de uma nova perspectiva sobre o setor em Maricá), outros instrumentos têm sido pensados para fazer com que as ferramentas e soluções propostas possam ser aplicadas, geridas e desenvolvidas. Um exemplo seria a criação de um conselho, um fundo e um plano diretor de Turismo. Segundo Wagner, são itens essenciais para a normatização da atividade e para que se alcancem serviços de qualidade que atendam às pessoas e empresas que vão se estabelecer ou circular na cidade, em função da construção do pólo naval ou do Comperj, apontando, assim, para a criação de uma Política Municipal de Turismo.

Ele acrescenta que conjugar os fatores que vinculam desenvolvimento e sustentabilidade é o objetivo da Secretaria de Turismo, que pensa a atividade turística do ponto de vista da interdisciplinaridade, buscando investir em planos e projetos que estruturem o turismo local, atraiam investidores e garantam o desenvolvimento local integrado e sustentável, oferecendo maior qualidade de vida.

Beleza por todos os lados

Wagner Medeiros lembra, ainda, que Maricá oferece recursos naturais em abundância e de beleza singular, como a Pedra do Elefante, dentro do Parque Estadual da Serra Tiririca, a bela praia de Itaipuaçu com a sua singular areia grossa, a Pedra de Itaocaia, que emoldura a fazenda de mesmo nome (onde o biólogo Charles Darwin se hospedou), a Pedra do Macaco e seu entorno e a Pedra do Silvado, berço da Laélia Tenebrosa, orquídea endêmica da região.

“Temos o Espraiado com sua beleza natural e riqueza cultural, o Pico da Lagoinha, ponto culminante de Maricá, o farol de Ponta Negra e sua praia, um dos templos do surf no Estado do Rio, o inigualável sistema lacustre de Maricá, a Serra do Camburi com sua vista panorâmica e fantástica, onde se pratica Vôo Livre e, por fim, a Barra de Maricá e sua restinga. Apesar da abundância e beleza, a cidade ainda carece de uma infraestrutura de parques ecológicos, onde, além da prática esportiva e de lazer, da vivência e contemplação, os moradores e os visitantes possam desfrutar de uma estrutura planejada e com opções de alimentação e hospedagem, numa ação que potencializa as características locais, como acontece em outros destinos turísticos. Muito tem se trabalhado e muito mais se trabalhará, pois uma cidade só será um bom destino turístico, se for um bom lugar para se viver, pois o que é bom para o Turismo é ainda melhor para Maricá”, aponta.